24 de março de 2007

 

O decreto da avaliação (X)

As consequências da avaliação

Tem sido provavelmente o ponto mais crítico da nossa experiência de avaliação, por omissão. Na prática, a avaliação de muito pouco tem servido. Não detrmina a opinião pública, na escolha perante o mercado das ofertas educativas. não tem efeitos no financiamento. Não tem efeitos na justificação de contratos especiais (contratos programa). Quando muito, diz-se (nunca vi isto provado com casos concretos) tem permitido correcções institucionais a erros apontados pela avaliação.

Pensei escrever sobre tudo isto. Não o vou fazer para já porque, em rigor, tem muito mais a ver com a agora anunciada proposta de lei da avaliação, não com este projecto de decreto.

Fica para artigo em destaque, mais do que simples apontamento, a minha proposta de lei da avaliação, coisa muito mais importante do que este decreto instrumental, da criação da agência.

Comentários:

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial

Subscrever Mensagens [Atom]